quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Eu quero, eu busco, eu consigo

A Kátia é uma dessas mulheres que emana uma energia muito boa desde o primeiro momento. Eu a conheci no início da segunda gestação. Sorriso grande, olhos cheios de luz. Tudo de bom. Ela tinha uma história de cesárea necessária no primeiro parto e veio me buscar pra que eu fosse sua cúmplice em sua nova jornada. Na primeira gestação ela já teve uma doula, a Vânia. Nossa missão agora, era fazer com que tudo fosse diferente. E o dia do parto chegou, e para a alegria dessa doula aqui, a Vânia também poderia estar presente. Oba!
Super doula Vânia, acompanhando a Kátia pela segunda vez
A Kátia começou a sentir alguns sinais do parto no sábado a tarde, eu tinha levado um bolo para ela, e em seguida ela me ligou e perguntou se era bolo de ocitocina. Muito bom mesmo. Enfim, com ou sem ocitocina no bolo, as coisas foram engrenando e por volta da meia noite ela me ligou. Fui até lá, conversamos um pouco e voltei na minha casa pra pegar umas coisas e me "mudar" pra casa dela. E assim ficamos por quase toda a noite, e de manhãzinha a Jamile, a Camila e a Vânia chegaram. Foi uma bela experiência e tudo evoluía com tranquilidade.
Revezamento de doula, fazia tempo que não acontecia comigo.

Passamos assim o dia todo, mas por algum motivo, as contrações não tinham uma dinâmica ideal, e mesmo a dilatação evoluindo, o Benjamim não conseguia acabar de completar a sua trajetória.
A Kátia e todos nós, estivemos empenhados em ajudar o processo acontecer. Muita energia e muita força foi empregada. Todos os conhecimentos de parteira e doulas agregados para alcançarmos a meta.  O mais importante que vi nesse nascimento, foi o desejo da Kátia, que não vacilou em nenhum momento de sua escolha. Ela sabia o que desejava, e nem o cansaço, as horas sem dormir, as contrações que mesmo espaçadas tinham força, fizeram com que ela pensasse em desistir. O Benjamim estava firme e forte, parceiro incondicional da decisão de sua mãe.



O parto, como planejamento inicial, aconteceria em casa, mas por algum motivo, as contrações não tinham a dinâmica esperada, e depois de uma longa espera, a decisão para que a Kátia se transferisse para a maternidade, foi tomada. Sabemos como foi difícil para ela tomar essa decisão, pois a lembrança da cesárea anterior persistia. Fomos todos para a maternidade, e a Vânia ficou com ela. Um pouco de ocitocina, algumas intervenções não necessárias, e finalmente, após mais ou menos uma hora, o Benjamin,chegou ao nosso mundo. Veio forte, feliz e bravo, como a sua mãe. A Kátia é uma das muitas mulheres que merece a minha admiração, por sua tenacidade , por sua doçura e por sua alegria, mesmo diante do inesperado. E hoje, quando perguntei a ela se a experiência tinha sido boa, ela me disse:
-Tudo o que vem de Deus é bom!
Parabéns Kátia, por sua força. Vânia querida, por sua cumplicidade e pela nossa redenção nesse momento mágico, uhhhu , a Kátia pariu!!!

Bem vindo Benjamim, o mundo é lindo e merece ter você.





4 comentários:

SamantaMB disse...

vi a Kátia na marcha e ela ia parir em questão de 1 semana.
parabéns à ela pelo bebê, e à vc, Cris, pelo relato!
beijos.

Pequenos Mimos disse...

que lindo relato...

Unknown disse...

Muito lindo, espero ter muita força, determinação e energia para trazer o Guilherme ao mundo.

Unknown disse...

Muito lindo, espero ter muita força, determinação e energia para trazer o Guilherme ao mundo.